O GESTRIO (Sindicato dos Gestores Públicos do Estado do Rio de Janeiro) é a entidade que representa as carreiras criadas pela Lei Estadual 5355/08 e pela Lei Complementar Estadual 132/09 no âmbito do Estado do Rio de Janeiro. As carreiras representadas são:

Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental; Analistas de Planejamento e Orçamento; Analista de Finanças Públicas; Especialista em Previdência Social e Especialista em Gestão da Saúde.

Criado em 2011 como Associação, o GESTRIO teve sua transformação em Sindicato aprovada pelos seus associados em 2018, que foi formalizada através das modificações realizadas no Estatuto Social da entidade. O novo Estatuto, que se encontra atualmente vigente, pode ser acessado aqui

O GESTRIO tem como principal atribuição a defesa e representação legal dos servidores das carreiras acima mencionadas, e pauta sua atuação pelos seguintes objetivos:

I. Promover a valorização política e profissional dos cargos que sejam legitimamente representados pelo GestRio junto aos órgãos da Administração Pública, aos demais Poderes e à Sociedade Civil;

II. Defender os interesses da categoria junto aos Poderes Executivo e Legislativo;

III. Representar os filiados, administrativamente e em juízo, individual ou coletivamente, como substituto processual, bem como assessorar cada um na solução de questões relacionadas ao exercício da profissão;

IV. Contribuir para o aperfeiçoamento da gestão pública, promovendo, apoiando e divulgando a realização de cursos de aperfeiçoamento para os membros dos cargos mencionados, bem como de debates, trabalhos técnicos, congressos, seminários e fóruns de discussão, relacionados a planejamento e administração financeira e orçamentária, finanças públicas, gestão governamental, formulação, implementação e avaliação de políticas públicas, inclusive por meio de parcerias com o Estado e com instituições acadêmicas e de pesquisa;

V. Contribuir para a profissionalização da gestão pública estadual, inclusive defendendo a promoção regular de concursos públicos, a qualidade dos cursos de formação e o desenvolvimento adequado das carreiras de gestão; e

VIII. Congregar e incentivar atividades que defendam e promovam os avanços dos direitos sociais, os direitos humanos, a universalidade da saúde, a gestão pública transparente e democrática, assim como promover intercâmbio e ações conjuntas com outras organizações de trabalhadores, especialmente as representativas do funcionalismo público, na defesa desses princípios e da melhoria da qualidade de vida, salários e trabalho.